[Escrevendo sobre] JOGOS VORAZES – A Trilogia

Olá meus queridos e hoje vamos de… JOGOS VORAZES!

O Tordo ou Mockingjay, como preferirem ^^

O Tordo ou Mockingjay, como preferirem ^^

Aaahhh Jogos Vorazes ❤
*Para Vanessa! Isso não é para ser nada romântico ou fofo. HUM!*

Gente para começar a falar dessa trilogia, quero falar brevemente sobre distopia e YA.

Distopia é um gênero literário que quer dizer exatamente ao contrário de uma Utopia, ou seja, enquanto na Utopia encontramos um mundo cor-de-rosa, onde tudo acaba bem e é perfeito, na Distopia encontramos um mundo cruel, triste e as coisas nunca acabam muito bem, é o tipo de história que rouba sua esperança em um mundo melhor. Mas é muito bom… JURO! Já falei sobre isso em outro post, quando falei sobre 1984!

“E YA? O que é isso?!” Bem… YA é uma sigla para Young Adults, ou seja Jovens Adultos. Não é um gênero literário, mas sim uma classificação etária, que normalmente gira em torno de 15 a 29 anos.

Okay! Esclarecendo isso, vamos aos Jogos Vorazes!

Jogos Vorazes é considerado uma Distopia YA, é uma trilogia e está sendo adaptada ao cinema.

A história ocorre em Panem, uma nação dividida em 12 Distritos e em 1 Capital. E depois que uma Grande Rebelião aconteceu, ela é controlada por um só partido ditador, e este comandado pelo Presidente Snow.

Panem é uma derivação de panen et circenses, ou ainda de “Pão e Circo”, o que faz muito sentido… afinal a maioria dos distritos vivem na miséria e escravidão, enquanto na Capital há o luxo e as futilidades, e o circo fica por conta de algo chamado de “Jogos Vorazes” (JV), esses que lembram as atividades que ocorriam no Coliseu. O jogo consiste em um reality show onde crianças e jovens, um menino e uma menina de cada distrito, são sorteados e colocados em uma arena para lutarem até a morte, o último sobrevivente é o Campeão e como prêmio tem a oportunidade de viver e dar uma vida melhor a sua família.

Bem, a história é escrita em 1° pessoa, que é nossa personagem principal, a Katniss Everdeen. Uma moça do Distrito 12 que após a morte do seu pai, enquanto ainda era uma criança, ela precisa cuidar da sua família, que consiste em sua mãe e sua irmã Prim, já que sua mãe entrou em estado de choque/depressão após a morte do marido e não consegue trabalhar. Em um distrito pobre, que muitos passavam fome a única saída que Katniss encontrou foi aprender a caçar com o Arco e Flecha que seu pai havia feito para ela, ainda que fazer isso seja contra lei e ela corra o risco de ser castigada por isso.

Um carinha que ela conhece durante as caçadas vira um grande amigo, é o Gale.

Sua vida segue até mais uma vez chegar o dia da Colheita, que é quando a Capital escolhe as crianças do Distrito que irão participar dos Jogos. Esse ano é o primeiro ano que sua irmã Prim irá participar, mas Katniss não parece muito preocupada com isso, pois enquanto o nome da Prim tem apenas uma vez para ser sorteado, o da própria Katniss tem 20 vezes, por conta de algumas regras e trocas que a nação tem.

Mas a infeliz da Prim é sorteada! E no desespero, Katniss só encontra uma saída: se voluntariar para ir no seu lugar.
Já no lado do homens, o escolhido é o Peeta (para tudo para um suspiro)!

Bem para não dar spoiler no momento vou me reservar a dizer que uma emocionante luta pela vida começa, um romance aparece, uma nova revolução surge e muitas críticas sociais também.

Essa é a grande sacada de uma distopia, ser recheada de críticas sociais atuais, ainda que usando ficção. Antes de ler Jogos Vorazes eu já havia lido duas distopias clássicas: Admirável Mundo Novo e 1984. As duas são para adultos e obviamente são muito mais densas, possuem uma crítica muito forte e provocam reflexões que podem levar dias para serem digeridas. Super recomendo a leitura desses livros! Essencial.

Mas o que acontece? Eu vi pessoas comparando essas distopias com a distopia de JV que é YA. Gente para mim parece óbvio que vai ser uma literatura mais fácil de ser digerida e de compreensão nível easy, apesar que depois de ter visto algumas resenhas, fiquei na dúvida se compreenderam mesmo a proposta de JV ou eu que sou muito imaginativa mesmo. Enfim… =P

JV traz a tona críticas como a nossa alienação, a facilidade com que o governo ludibria o povo, a importância que damos a reality shows por conta do vazio de nossas próprias rotinas,  a capacidade de luta de um ser humano que só possui a escolha de matar ou morrer, que em luta pelo poder não existe como o povo vencer e que o Bem e o Mal é uma linha tênue.

Entre outros temas como a guerra, o desequilíbrio emocional e cumplicidade entre pessoas traumatizadas.

Olha, eu ainda não li outra distopia YA, também não sei se é porque ainda estou na faixa de até 29 anos (kkkkk), mas acho Jogos Vorazes uma excelente introdução a Distopia. Não acho que perca muito para os clássicos, apesar de clássicos sempre ganharem uma disputa pela riqueza de vocabulário, originalidade e densidade.

Definitivamente ler JV não é perda de tempo, na minha humilde opinião. É ótimo para ler quando se está com uma Ressaca Literária, por exemplo.

^^

^^” Meus livros ❤

Se tem algo negativo é a mania atual das editoras de tornar tuuudo em trilogia ou saga. Óbvio né? Assim se ganha mais dinheiro, acho que a trilogia poderia ser um livro só.

Algumas pessoas questionaram o final também, outras reclamaram e chamaram de lixo, e eu? Eu super gostei! :D~ Acho que condiz com o que eu esperava, fez sentido para mim e vou explicar na sessão de spoilers mais abaixo.

Quem ainda não leu os livros, leia, quem não viu o primeiro filme corre para ver, pois dia 15/11/13 saí o segundo, que é “Em chamas” e tá prometendo *-* só dizendo…

No skoob a média da trilogia foi de 4 estrelinhaaas! Ou seja, achei muito bom! 🙂

**Para quem não dou nenhuma estrelinha é para o Extra.com, site que eu comprei o box e caixa veio cheia de amassados, marcas e rasgos. Grrr. Reclamei, mas eu não queria trocar, primeiro porque estava louca para ler, segundo porque tinha me comprometido a ler tudo antes do lançamento de Em Chamas nos cinemas, e eu não sabia que leria tão rápido 😡 mas enviar de volta, pagando o frete e esperar mais um século para mandarem outro… não queria! Eles falaram que não tinham como resolver o caso então… que bom!**

Gente agora é o seguinte vou falar minhas opiniões mais especificamente, de cada livro abaixo, ou seja, haverá spoiler para quem não viu ou leu nada ainda. As zonas de spoilers serão dividas em 3, assim você poderá acompanhar até onde já leu. Quem viu pelo menos o primeiro filme, vem comigo :D~

Para quem fica por aqui, um beijo no coração e vai logo conhecer a história, tá!?

Moral da História [sem spoiler]: Pelo o que lutamos mesmo!? Qual o objetivo das guerras e disputas?! Nossa sociedade atual vive em constante perigo de tornar real uma distopia, fato, mas e aí, o que devemos fazer?! Ah! E o amor?! O amor é lindo *-* ❤

[1 ZOOOONAAAA DE SPOILER] *aquela que assisti muito Jovem Nerd* Jogos Vorazes 1

.

.

.

.

.

.

– Cara, eu sou estranha, enquanto há romances que eu me derreto toda, há romances que eu faço cara de vômito mesmo *bleeeh*.
Mas o romance que nasce ali entre Peeta e Katniss, me amarreeeei muuito, principalmente no livro, que deixa muitas outras coisas claras, óbvio, mesmo porque contém mais detalhes, apesar de o filme ser muito bem adaptado.
Mas o que mais gostei foi que não é um romance que nasce de forma boba, de uma paixão doentia, eles viram cúmplices (né?), testemunham muitas coisas juntos, passam por medos diferentes, mas compreensíveis um para o outro. Depois Katniss é muuito racional, e durante muito tempo nem pensa na possibilidade de gostar de Peeta, ela simplesmente quer saber de voltar para casa, enquanto Peeta se demonstra o tempo todo solícito, mais amante que guerreiro, sem deixar de ser esperto, usar seus talentos para sustentar sua vida  o máximo possível! Não é bobo, como a maioria dos bons moços apaixonados e pelos livros serem em 1° pessoa (a Katniss que é mais racional), o romance nunca é o foco principal. E que jogo inteligente do Peeta, de antes de entrar na arena falar que é apaixonado pela Katniss, e ele não fez isso por ser de fato, se não já teria feito antes, mas fez porque sabia que ia comover os telespectadores e patrocinadores! Inclusive arriscou a confiança de Katniss nessa tática! Peeta… você é um gênio! ❤ Fez dos próprios leitores torcedores de um romance de reality show kkkkkk

– Algumas pessoas ficaram com raiva porque teve aquele lance “Nós decidimos que agora poderá haver dois vencedores de um mesmo distrito” (dando chance ao casal de se unir e de repente ganhar mais ibope mostrando na TV a luta de um casal apaixonado pela vida). Mas quando eles chegam no final da luta, anunciam “Mudamos de ideia, só pode ter um vencedor mesmo, um tem que matar o outro!”. Pessoas ficaram sem entender o motivo disso. Pois pra mim pareceu óbvio que desde o começo quando anunciaram que dois poderiam ganhar era uma artimanha para manipular o casal e fazer uma cena bem dramática no final, onde um mataria o outro, mostrando que quem manda ali é o governo. Mas como a Katniss desafiou esse final sugerindo que eles se matassem, os diretores pegos de surpresa e sem tempo para saber o que era melhor, desistiu e anunciou que os dois poderiam viver dessa vez. Não vi problemas nessa parte. Vocês viram? Se é ridículo, é tão ridículo quanto os programas de reality que assistimos 😛

– Quanto a reflexões do primeiro livro, acho que já consegui expor acima, sobre onde está a moralidade em um povo que se distrai, se diverte com o sofrimento e morte dos outros. Onde fica a moralidade onde um povo torce pela violência? Bem e aí nesse aspecto não percebi muita diferença da nossa sociedade atual. Adorei esse tapa na cara.

– Aaah, e o Gale? Gale who?! Sei nem quem é 😛 hehehe só aparece no comecinho e em alguns pensamentos da Katniss. Mas essa é sua melhor aparição na trilogia toda, na minha opinião 😛 Ainda nesse livro tinha dúvidas com quem ela deveria ficar…

[2 ZOOOOONA DE SPOILER] *A partir de agora, só quem leu o segundo, tá?*

.

.

.

.

.

.

– Achei que o ritmo continuou bom, eu não sosseguei enquanto não terminei de ler, fiquei louca devorando cada página. Quando eu soube que eles voltariam a arena (antes de ler o livro mesmo), eu pensei “Sério? Meu Deus! O que vão inventar agora? Como vai ser essa arena? Não tem como ser melhor que a primeira!”
E rapaz… não é que foi?! Inclusive, o próprio livro acho melhor que o primeiro! Acho que vai ganhando uma densidade, uma tensão… enfim…

– Cinna, meu querido, você é DEMAIS! Você é… é… o outro gênio do livro *-* OMG! O que ele fez com aquele vestido de noiva?! Amei essa cena e estou louca para ver no filme! E eu senti muitíssimo pelo seu final, fiquei de boca aberta com seu castigo, baby 😦 que cena desgramada aquela. Entendi que ele estava junto com os rebeldes porque na Capital conseguia perceber a atrocidade que eram aqueles jogos, e como eram cruéis. Mas acho que ele ficaria decepcionado com as sugestões que aparecem no final da trilogia 😡 Tadinho!

– Adorei os campeões, suas personalidades, Finnick ❤ você é muito legal, mas confesso que preferi o Beetee e a Wiress. E essa última principalmente pelo suspense que causa pelos seus famosos “tique taque”. Essa foi outra cena sensacional para mim!

– Que arena é aquela?! Um terror psicologico para os campeões! Fiquei muito tensa (tenho essa mania de criar uma empatia suficiente para me senti como os personagens).

– Peeta… ooowwnn o Peeta! Não tem mais como duvidar da sua bondade mais aqui, ele é meu preferido por isso. Porque ele é bom, tem moral, é apaixonado, mas é esperto, inteligente, nada bobo, sabe se defender e defender quem ama, sabe usar seu talento para manipular e conquistar multidões e não é aquele tipo de mocinho cheio de “nhenhenhe eu não sou bom suficiente para você, não chegue perto de mim”! Daria um tordo bem melhor! Ou não, porque ele é o único inteligente para ver que numa briga PELO poder não tem como o povo se beneficiar 😛

– Fiquei surpresa como eles conseguem sair da Arena, não esperava por aquilo, por aquele final. E o surgimento do Distrito 13? Imaginei que aconteceria uma hora ou outra, mas não suspeitei da sua importância. E óbvio, pela minha paixonite de garota de 13 anos, fiquei arrasada pelo Peeta ter ido para Capital.

[3 ZOOOOONAAAA DE SPOILER] *A Esperança*

.

.

.

.

.

.

– Cara, esse livro é sinistro, muito mais tenso e é o que mais se aproxima da densidade dos clássicos de distopia. Se vocês acham que os personagens já sofreram muito… tsc… ainda não leram A Esperança.

– Deve ter sido traduzido como A Esperança, porque ficamos aflitos, na esperança, de um final feliz, né? E aff -_-

– Katniss já está desequilibrada, super estressada, preocupada pois Peeta tá na Capital, assim como outros amigos, Cinna morreu =/ ela está em um Distrito cheio de estranhos que querem transforma-la no rosto da revolução. E não sabe em quem confiar. Nem eu saberia, e olha que sou mais otimista que ela =P

– Ainda não falei do Haymitch, mas acho que ele é tão vítima quanto os outros campeões. Demonstrou muito isso em suas escolhas e no seu final.

– O Gale é um idiota, sério, desculpa quem prefere ele, mas grrrr, como ele me irritou nesse livro! Saudades da inteligência do Peeta nesse livro ❤ Fiquei nervosa enquanto não apareceu notícias dele haha, li rápido, mesmo o livro sendo mais denso, só porque queria saber como terminava, já que eu só ouvia o povo falar mal. *Tirar a prova, sabe?*

– Gale é um idiota porque não gostei dos planos dele (que porcaria foi aquela no distrito 2?), nem das desculpas pela luta por um ideal, obviamente ele ainda não tinha visto quem era o verdadeiro inimigo, a Ganância/Poder/Corrupção, pode escolher! Achei que como um grande amigo da Katniss que ele era, pouco se demonstrou compreensivo com as escolhas e dúvidas dela. Sério… não tem como ele superar o amor de Peeta 😛

– E a maluquice do Peeta?! Quando li a parte onde Katniss se perguntava como o Presidente Snow poderia lhe quebrar mais ainda… não consegui imaginar o que ele fez com a cabeça do Peeta, que para o estilo um tanto egoísta da Kat, isso foi pior que a morte dele. Mas achei legal, afinal é distopia não é? Um final romântico e feliz não chegaria fácil assim…

– Luta na Capital: Muito tenso O_O Snow é um doente, obviamente, Finnick nos deixou bem claro isso. E nada contra a morte do Finnick, mas achei o trecho bem sem noção, tive que reler para entender, e também não achei sentido na reação de Anne, mas enfim… Achei interessante como Peeta e Kat lidaram com a loucura dele durante a luta toda.

– Morte das crianças e da Prim: Sinistro mesmo. Principalmente porque apesar de Snow ser doente, não se espera aquele plano nojento de um lado que você tá torcendo, que acha que são os bons da guerra. Mas achei suuuper válido, foi ali que ficou bem claro que a luta não era para a melhora da população, mas sim pelo poder. Vilões nunca se acham vilões, né? Sempre com suas verdades… e a morte da Prim teve objetivo na minha opinião, afinal foi assim que Katniss pôde ver que aquela guerra toda não tinha sentido, que ela estava apenas sendo usada e que mais uma vez foi marionete de quem estava acima dela. E sim, eu gostava da  Prim.

– Todo esse terror cominou na morte de Coin, que também achei super simbólico. Afinal representou que Katniss entendeu que não tinha um bom lado ali, que o governo continuaria sujo. E não, não acho que o Presidente Snow era bom, ou tudo foi culpa só de Coin, como algumas pessoas ficaram se questionando. Simplesmente não tinha lado bom ali. Socialismo e Capitalismo, sabe? Ditadura e Corrupção! Enfim, imagina só se tem referência a nossa sociedade 😛

– Final: Achei bom, de verdade, achei bem interessante a parte que ela fala sobre sua volta para o Distrito 12 e como ficou perambulando entre a loucura e a consciência.
Óbvio que o Peeta iria para lá ❤ *aiai*.
Achei que apesar de muito resumido, fez sentido Gale se afastar, ele já havia demonstrado que pensava diferente de Katniss e isso tirava a paciência dele mesmo. Além disso ele sabia que Katniss não perdoaria ter sido a criação dele, a bomba dele que matou a Prim, mesmo que ele não tenha tido culpa direta nisso.

– Eu dispensaria aquele prólogo =P achei desnecessário. Deixar ali naquela parte onde Katniss e Peeta tentam lidar com suas loucuras e desequilíbrios juntos era mais que suficiente.

Enfim gostei muuuito de Jogos Vorazes.  ^^ Não sei se o fato de eu ter lido 2 clássicos distópicos, depois Jogos Vorazes e mesmo assim ter gostado de todos eles demonstra alguma imaturidade 😡 maaaas, fazer o quê, né?

E chega né? Ufa! Desabafei tudo o que eu queria! No mínimo isso servirá como um diário mesmo, haha.

Abraços Fraternos,

Nessa

Anúncios

Sobre vanessacorrea87

Em uma frase resumo toda minha paixão e sede por livros, filmes, mitos, filosofia, psicologia, ciência, tecnologia e afins: "Portanto, mais importante do que o que se foca, vê, lê ou ouve é o que se desperta, de si mesmo, na medida em que se foca, vê, lê ou ouve." JT E é nisso que eu acredito e pauto o meu viver! :)
Esse post foi publicado em Sobre Qualquer Coisa. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para [Escrevendo sobre] JOGOS VORAZES – A Trilogia

  1. Vanessa também gostei muito de Jogos Vorazes e principalmente do final (hahaha todos nos odeiam). Achei o final do Gale muito disperso pro que ele representou durante toda a trilogia, mas entendi que tê-lo por perto também lembraria que a invenção da bomba partiu dele. A falta de sentido pra vida no final foi muito densa.
    Também li o livro 3 muito rápido por que queria saber se era aquilo mesmo que todo mundo dizia e acabei por ver que as resenhas não representavam o que vi no final.
    Muito legal seu post. Abração.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s