[Escrevendo sobre] A Queda de Atlântida de Marion Zimmer

Oi Pessoas, tudo bem!? 😀

Então,

Marion Zimmer é minha escritora preferida, norte-americana, faleceu em 1999 e escreveu maravilhosos livros de Fantasia e Ficção Científica (que são meus “gêneros” preferidos também).

De família pobre começou a trabalhar desde cedo, inclusive como faxineira, até que um dia ganhou uma máquina de escrever de presente! Começou a escrever contos até os anos 50 de tiragem fácil, que falavam sobre sexo ou romance, no estilo daqueles livretos de banca de revista, sabe?! Escrevia, também, para revistas de contos de ficção científica. Pois era assim que ela sustentava sua família, esses contos, afinal, tinham um retorno “mais fácil” de dinheiro. Mas sua escrita nunca fora de todo mal, assim eu acredito, afinal aos 19 ANOS (!), ela já havia ganhado um prêmio por seus contos de sci-fi.

marion-zimmer-bradley

Seu sucesso e notoriedade começou com sua primeira incrível obra, que foi a série Darkover, onde ela fala de humanos em outros planetas que possuíam poderes psíquicos! Foi (ainda é, de um certo ponto de vista) um sucesso.

Vocês estão entendendo isso?! Era uma mulher, escrevendo livros nos anos 40/50 (até os nos 90, né?) e mais, de FICÇÃO CIENTÍFICA, um gênero dominado pelos homens. Não… e o melhor, essa série, por exemplo, fez a cabeça de muita gente, recebendo boas críticas e tudo mais.

*Será a próxima série que lerei dela, já tenho o primeiro livro. São mais de 20 livros só sobre essa série, e ainda não entendi COMO, muitos não possuem nem tradução no Brasil, aparentemente brasileiros não curtem muito a Marion =P, vou ter que forçar meu inglês provavelmente.*

Depois ela continuou escrevendo outros sucessos, como O Incêndio de Tróia, que trazia a famosa história da Helena de Tróia, finalmente pela visão feminina. Quem era Helena? O que ELA pensava?! Enfim… foi mais uma revolução, afinal, agora a luta da autora pareceu virar a causa feminina.

*Inclusive há sites que dizem que ela participou e ajudou um grupo de ativistas feministas lésbicas, que cobravam seus direitos! (Tão Hipster, né? hehe). Mas se foi lésbica, não sei, foi casada duas vezes e teve 2 filhos. *

Ela ainda escreveu um dos livros mais lindos que eu já li, que foi A Filha da Noite! A edição que tenho aqui é da Editora Imago, a capa engana, podem achar que se trata de um livro infantil, mas não é! Pode até ser lido por crianças, mas acho difícil que elas compreendam a profundidade das mensagens. É uma história inspirada na Flauta Mágica de Mozart, pronto, neeem vou falar mais nada, ok? Fica a dica! E Flauta Mágica sem dúvida, é minha ópera preferida ❤

E então lançou o queridinho (ou não) da galera da Fantasia, a quadrilogia (existe isso, né?) das Brumas de Avalon! ❤ ❤ ❤ ❤ ❤

A série dAs Brumas de Avalon é uma nova forma de enxergar as lendas arturianas sob a ótica das mulheres e da cultura celta (como amo).

*Mas gente, sinceramente, apesar da autora destacar a visão das mulheres da história, de longe eu acredito que se trata de algo feminista, sério mesmo. Não é feminista porque as mulheres não são colocadas como melhores que os homens, mas sim como iguais. Ela consegue descrever muuuuuito bem os vícios femininos – o ciúme, a inveja, o egoísmo, a luxúria e etc – mas também com a sensibilidade que só uma visão feminina pode proporcionar – uma história cheia de intuições, de profundidade emocional, de magia e segredos. É só um ponto de vista diferente do habitual, ok?*

Na minha opinião, para gostar dessas histórias da Marion é preciso ter mente aberta, ter uma curiosidade pelo universo feminino, pela crença na mãe natureza e querer compreender uma coisas descrita como sagrada e mágica mesmo. E homem pode ter tudo isso, não? Alias acho que eles deveriam se interessas mais, compreenderiam muita coisa. E quer saber? Fica óbvio, que ser humano é ser humano independente do gênero, ele busca luz e virtudes, mas tropeça em seus vícios se encontrando nas trevas muitas vezes! É isso!

Facilita muuuuito se você acreditar nas Leis Universais, pois os livros falam sobre Lei de Causa e Efeito, sobre Carma, Lei de Reencarnação, sobre o autocontrole, disciplina espiritual e autoconhecimento. Quem não acredita nessas coisas, vai parecer baboseira mesmo, ou no mínimo, mais uma história qualquer.

E aí chegamos na série que estou lendo. Não é uma sequência oficial, mas antes dela morrer (a Marion), ela deixou a entender que existia essa sequência, que é a história que antecede As Brumas de Avalon, ou seja, ela fala que são livros sobre os ancestrais dos personagens de Avalon, inclusive dizendo que alguns são vidas passadas desses. A sequência é a seguinte:

E acabei de ler A Queda de Atlântida! A edição dos meus dois volumes é da Editora Círculo do Livro, que faliu nos anos 80, para vocês terem IDEIA da situação desses livros com cheirinho de sebo (loja de livros velhos! HUM!) e de Jackets mofadas e rasgadas. *Aliás apesar de gostar de livros de capa dura, não faço questão de Jackets, me dá uma raiva aquilo, sempre sai do lugar, amassa, rasga e fica aquela aparência horrorosa -_-*

a queda de atlantida

Mas então, voltando, são 2 volumes, a Teia de Luz e a Teia de Trevas, cada um possui em torno de 200 páginas, são separados em capítulos curtos, a leitura é fácil e apesar de ser escrito em terceira pessoa, é muito fácil entrar e compreender a mente dos personagens. Eu me identifiquei vááárias vezes com alguns. Nem falo quem são para não entregar meus defeitos sabe… =x

A Teia de Luz

Nesse primeiro volume a autora vai explicar como funciona o mundo que as personagens principais vivem, são elas Domaris e Deoris, duas irmãs que nasceram e passaram a vida inteira dentro do Templo e a Cidade do Templo de Luz. Não diz onde fica, mas parece que fica em um litoral, próximo de uma ilha chamada Atlântida 😉

Lá há a divisão em castas e de acordo com o desenvolvimento das funções de cada um, obedecem uma hierarquia. As irmãs fazem parte de uma casta de estudantes importantes, que poderão virar sacerdotes e sacerdotisas.

Já no começo algo diferente acontece e muda toda a rotina da Cidade do Templo, que é o surgimento de um rapaz misterioso chamado Micon de Atlântida. Micon é naturalmente reverenciado pelas pessoas, carrega em si uma nobreza inquestionável e quase perturbadora, mas mais perturbador ainda é a história que ele trás consigo, que é o reaparecimento dos Túnicas Negras, ou seja, mestres que cultivam e praticam a Magia Negra. Esse reaparecimento não só compromete a dignidade e honra dos Sacerdotes da Luz, como também ameaça a trazer consigo grandes catástrofes.

O título desse primeiro volume vem muito bem a calhar, apesar das más notícias, um acontecimento romântico vai selar o nascimento de um ser de Luz, tudo caminha para essa direção.

A Teia de Trevas

Nesse segundo volume a magia negra fica mais visível, você compreende quem está por trás de tudo isso e pelo menos eu fiquei muuuito nervosa com alguns personagens! Por que será que as Trevas sempre causam mais? O_O ou é só comigo? No sentido que teve partes do livro que eu fiquei ansiosa, sabe quando você entra em um personagem? Identifica-se com ele e fica “Nãoooo, aiii meu Deus e agora?! O que você está fazendo?” hahaha eu fiquei bem assim… uma noite sem dormir por conta disso, não conseguia paraaar de ler enquanto não cheguei na parte que mostrava o que acontecia com a tal personagem, rs.

Mas sinceramente? Não curti muito o final =/ sei lá, acho que estava com a expectativa elevada por conta do meio do livro.

Não que a história no final tenha ficado ruim, mas sim o desenvolvimento dela. Meio apressado, cortando muitas coisas e de repente PÁ.. acabou =P E não há a descrição da hora do acontecimento principal, haha que eu queria ler desdo começo. Há apenas insinuações do que aconteceria.

Enfim o título do volume também faz jus, pois dessa vez você vê acontecendo o inverso, a busca pelo nascimento de um ser das Trevas. Será que conseguiram?

No final do todo, achei a ideia muito inteligente, mas achei que poderia ser bem mais explorada, o leitor agradeceria (porque né?), pois no fim tudo me pareceu tão pequeno para gerar um acontecimento tão enorme! Não vou explicar melhor para não correr o risco de dar spoilers.

Eu vou dar 4 estrelinhas no Skoob para ele 😀

Mas olha, coisas que envolvem Atlântida, Avalon, Egito, Essênia e afins vira caso sério aqui em casa =x haha somos apaixonados, alias acho que só eu me envolvo mais com Atlântida e Avalon (ou povos celtas em geral), então podem me chamar de louca, vou confessar: EU ACREDITO em Atlântida =x (A Verdade está lá fora!). Sempre busco histórias que expliquem como ela era e porque deixou de existir.

Apesar de ser uma história fantástica (no sentido de mirabolante e inventada), eu gostei da ideia que a versão da Marion passa e inspira.

E vou continuar lendo a série, até reler as Brumas de Avalon. Vai ser tipo Cloud Atlas, vocês já viram né? Vou tentar “adivinhar” quem é passado de quem, rs.

Vamos ver no que dá!

Moral da História da Queda de Atlântida: Pequeníssimas escolhas podem fazer toda a diferença no desenvolver de nossas vidas! Carma existe, é a minha opinião (ok?), e a lição que tirei dos casos desses livros foi de como disciplinar nossos pensamentos pode ser fundamental!

É isso!

Abraços Fraternos e até mais! ^^

Anúncios

Sobre vanessacorrea87

Em uma frase resumo toda minha paixão e sede por livros, filmes, mitos, filosofia, psicologia, ciência, tecnologia e afins: "Portanto, mais importante do que o que se foca, vê, lê ou ouve é o que se desperta, de si mesmo, na medida em que se foca, vê, lê ou ouve." JT E é nisso que eu acredito e pauto o meu viver! :)
Esse post foi publicado em Sobre Livros e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s