Huummm, olha lá uma Banca de Revista, que interessante!

Uma ida no supermercado e na loteria para cumprir com os meus deveres, e de repente passo em frente a uma “revistaria”, ou Banca de Revista, como preferirem. Para pessoas normais e controladas provavelmente isso não significaria muita coisa, mas para mim significa oportunidade de encontrar ouro!

E não é que hoje encontrei mesmo?! O melhor de tudo foi receber o apoio do maridinho que normalmente sempre reclama do meu impulso por comprar livros, mesmo tendo livros em casa esperando para eu ler, rs. Talvez porque tenha reparado que estou mais comprometida com a leitura ou talvez porque dos 3 itens que eu comprei, um terminei de ler hoje mesmo, o outro eu li na minha adolescência e eu nunca tive a oportunidade de compra-lo antes.

Então deixa só eu mostrar para vocês meus novos tesouros :D~

1 – o primeiro item da nossa (da casa) futura coleção dos Graphic MSP: o Pavor Espaciar.

Graphic MSP é uma sequência de obras realizadas em ação conjunta da Panini Comics com artistas convidados, e além disso, com a benção do Maurício de Souza (sim, o da Turma da Mônica). São quadrinhos simplesmente I-N-C-R-Í-V-E-I-S! Com traços fofos e diferentes do que os leitores da Turma da Mônica estão acostumados. Encontrei essa edição do Chico Bento na banca que fui:

Imagem

Essa capa é de brochura, mas no site da Panini Comics, ou até mesmo na Saraiva você poderá encontrar na versão capa dura, pagando um pouco mais, é claro!

Imagem

Como disse anteriormente e vocês podem ver acima, os traços são diferentes, e esse vai se diferir dos outros Graphic MSP, que foram feitos por outros artistas. Eu particularmente acho super fofo e bom ter uma visão diferente dos personagens que fizeram minha infância e minha iniciação a leitura ❤

Vocês podem estar se perguntando, talvez, se não conheciam ainda essas obras, quais são os outros Graphic MSP, e são eles: Astronauta Magnetar e Laços. Esse último foi o que mais me agradou visualmente nas imagens que vi pela net e não vejo a hora de vê-lo pessoalmente e ler a historinha!!!

Quanto a isso, Pavor Espaciar, é uma historinha que narra o encontro do Chico Bento, Zé Lelé, Torresmo (porquinho) e Giserda (galinha) com nada menos que Alienígenas! É muito engraçado os sustos e as reações dessa turminha, além de todo o seu sotaque caipira!
Mas confesso que achei o conto um tanto curto e no final fiquei “só isso?”, haha, mas essa deve ser a intenção e devemos lembrar que é uma história em quadrinhos, só isso, é para divertir sem a preocupação com a mensagem final! (Quis dizer quadrinhos infantis, porque já li quadrinhos adultos com muito a dizer, e mensagens complexas, sem dúvida!)

2 – O primeiro volume do primeiro (e único) mangá que li na minha vida, até agora, o LOVE HINA! Sim, eu não li mais mangás desde então, mas isso não significa que eu não goste, pelo contrário, tenho óóótimas lembranças do quanto me diverti lendo esse mangá 😀 porém sempre acabei dando preferência para outras coisas, mas já coloquei na minha lista outro mangá que estou louca pra ler, o Monster (assim que possível irei atrás do primeiro volume e começarei a lê-lo).

Imagem

Gente, LOVE HINA é muito amor, é muita fofura e para mim, pura nostalgia, rs! Hoje que vim reparar que ele possui classificação de 16 anos :X mas tudo bem, eu li por aí mesmo, no meu ensino médio. Ele fala sobre Keitarô, um rapaz que tem tudo para ser um “loser”, mas é romântico, persistente e que fará de tudo para mostrar que é melhor do que os próprios pais o julgam. Apesar dele ser o centro das atenções a maioria dos personagens são mulheres e são super carismáticas, uma mais que a outra! A classificação se dá porque, elas de vez em quando, aparecem semi-nuas o.O sei lá, acho que é próprio da pegada dos mangás, a sensualidade e tudo mais. Mas façam como eu 😡 prestem atenção no que interessa, no enredo e na luta dessa galera jovem para entrar na maior Universidade do Japão, e gente, na leitura dá para perceber o quaaaaanto isso é importante para aquele país e para as pessoas que nasceram lá! Muito interessante!  Enfim, super recomendo e estou pensando mesmo, em algum intervalo da vida, na próxima vez que eu tiver que esperar ser atendida por um médico, por exemplo, voltar a ler essa série. 🙂

Agora uma revelação: Geeeente, na minha época não existia esse negócio tão fácil que o povo tem hoje, os jovens que adoram livros, hoje em dia, possuem estanteS de livros e mais livros, com vááários que nem mesmo leram ou que pretendem ler tão cedo, acho que hoje o acesso ao consumismo é muito mais fácil, só pode! Desde a 7 ou 8 série eu me tornei uma leitora sedenta, no sentido de não ficar muito tempo sem um livro na mão lendo-o, mas pouquíssimos eram os livros meus de fato, comprados por mim ou implorados para que minha mãe me desse. Será que eu era pobre, gente? kkkkkkk nunca vi desse jeito =P Os livros eram compartilhados dentro de sala, um mesmo livro de um amigo, rodava na mão de uns 5 na sala, pelo menos! Foi assim com Harry Potter, foi assim com Senhor dos Anéis, com a coleção da Anne Rice e claro, com o LOVE HINA, haha, na minha lembrança, um monte de amigas liam juntas! Nem lembro quem tinha a coleção, era algum garoto, se não me engano, ele levava uns 5 volumes por dia e íamos intercalando a leitura hahaha… ai, tempos bons!

Michel (não só ele) reclama do meu vício por comprar livros, mas foi ele que me iniciou nisso, no último volume de Harry Potter; eu estava sossegada só esperando chegar a hora de alguém me emprestar e ele veio com a ideia (que iniciou uma reação em cadeia) “Por que não compramos looogo?!” Nessa época eu já tinha algum dinheirinho que ficava na minha mão, e ele muito mais e então foi assim “POR QUE NÃO, NÉ?! Então por que não ter Senhor dos Anéis, As Brumas de Avalon e tantos outros?” enfim… parafraseando o Agente Smith de Matrix:

– Esse foi o “som” da inevitabilidade!

3 – BLING RING – A Gangue de Hollywood. Baseado em fatos reais, se tornou mega popular porque foi recentemente adaptado para o cinema, pela maravilhosa Sofia Coppola e estrelado por ninguém menos que a linda da Emma Watson ❤ (no centro da foto abaixo).

Imagem

Bling Ring conta a história de uma gangue que invadia e assaltava casas de celebridades hollywoodianas, como Lindsay Lohan, Paris Hilton e Orlando Bloom! Fala, também, sobre esse mundo da fama e da luxuria – não vejo a hora de ler esse livro e ver o filme! Já coloquei o livro na minha lista, para ler o mais breve possível e só assim, depois, assistir o filme! Assim que isso ocorrer venho aqui contar para vocês sobre eles! 😀

É isso! UFA!

A Moral da História de hoje é: Encontrar o sentimento de nostalgia em uma banca de revista, um com sua infância e outro com sua adolescência, não tem preço! 😀 aliás o preço vale a pena, não é tanto assim (comprei um deles com o troco do pagamento de uma conta :x)! E sim, essa rotina com livros e esse blog tem me ajudado no autoconhecimento, cada vez mais! Principalmente me ajudando a lembrar da origem de muitas coisas e a pensar melhor sobre o que estou lendo, vendo e ouvindo! 😀 *feliz*

Abraços Fraternos e Até mais!

Anúncios

Sobre vanessacorrea87

Em uma frase resumo toda minha paixão e sede por livros, filmes, mitos, filosofia, psicologia, ciência, tecnologia e afins: "Portanto, mais importante do que o que se foca, vê, lê ou ouve é o que se desperta, de si mesmo, na medida em que se foca, vê, lê ou ouve." JT E é nisso que eu acredito e pauto o meu viver! :)
Esse post foi publicado em Sobre Filmes e Seriados, Sobre Livros, Sobre Quadrinhos e Mangás, Sobre Qualquer Coisa e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Huummm, olha lá uma Banca de Revista, que interessante!

  1. Erika Izumi disse:

    adoooooooooooooooooooooro turma da mônica!!!! mas a turminha mesmo!! a turma adolescente não tem a menor graça!!… inclusive eu sempre comprava os gibis de todos da turminha quando pegava vôo pra manaus, pq eram 4 horas…e todo mundo ficava me olhando estranho como se os gibis fossem somente pra criança!! que absurdo!!! …. mas mangá eu não gosto muito! ironia a parte, pois venho de família japonesa.. ahhahahahaha.. mas é que sempre tem uma “moral” embutida que me lembra muito a educação japonesa enraizada na minha família… e não é legal ficar lendo algo que era pra ser divertido ao invés de se lembrar das broncas que levou… hahahahahhahahha… deve ser por isso que a grande maioria que eu conheço que gosta de mangá não descende de orientais.. hehehe… falando de nostalgia, eu me lembrei do livro “Pollyanna” (nem lembro se é assim que escreve”)… um clássico juvenil “da minha época”! hahahahaha… Quanto a quadrinhos para adultos, eu amoooo o Calvin e o Haroldo!!!… eu tinha vários livrinhos de quadrinhos dele!!

    • Hahaha ai eu adoro a Turma da Mônica, gente, existe alguém que não gosta?! Eu tinha o costume de comprar sempre também, ainda na faculdade, mas depois fui perdendo o costume sem nem ter muito porque, de qualquer forma me empolgo sempre que vejo algo diferente sendo feito com essa turminha, como essas graphic novels (acho que é assim no plural).
      Percebi, de fato, que os mangás, obviamente, possuem muito da cultura japonesa, eu aprendi muitas coisas só com o LOVE HINA, mas eu cresci adorando e admirando essa cultura haha desde bebê meu avô me levava pra comer em um restaurante japonês tradicional daqui de Manaus! Ainda vou lá na época da primavera com aquelas cerejeiras maraaas haha…
      AMO, AMOOO Calvin e Haroldo, eu tenho um livro deles aqui, mas estou me preparando para assim que eu puder (financeiramente) investir no box completo!
      Já ouvi falar de Pollyanna, mas era sobre o que mesmo?
      Um dos primeiros livros que me apaixonei foi Laura Palmer, acredita? De cara assim, para crescer traumatizada hahaha

      • Erika Izumi disse:

        hahahahahaaha vc não conhece Pollyanna porque a história é mais velha que minha vó!! hahahahaha… foi o primeiro livro de literatura estrangeira que eu li na vida, antes disso eu só conhecia os clássicos infanto-juvenil de escritores portugueses/brasileiros mesmo… é um baita drama de uma menina órfã!!.. eu li quando era criança, nem lembro direito, mas lembro que era uma leitura meiga, apesar do drama da história… hahahaha… tem o “Pollyanna” e o “Pollyanna moça”… não sei se todas as informações do wikipedia são verdadeiras neste caso, mas vai aqui o link! http://pt.wikipedia.org/wiki/Pollyanna

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s